LitNews – Últimas Notícias

  • Darkside lança antologia de contos de terror de autores ligados a ABL

Últimas Edições Super Literário

  • Super Literário Pocket #2

Últimos Episódios SuperCast

  • Super Cast #47 - Aladdin

Anúncios

Videos

Ofertas Amazon

Artes | As animações de curta-metragem indicado ao Oscar 2019

AS ANIMAÇÕES DE CURTA-METRAGEM INDICADOS AO OSCAR DE 2019

Bao

Seja curta ou longa a Pixar surpreende constantemente com as suas animações profundas e divertidas E como já esperado pela profundidade do curta “Bao” da Pixar, a animação foi  indicada ao oscar de 2019, exibido antes do longa Os Incríveis 2, que também foi considerado um dos lançamentos mais aguardados do estúdio em 2018.

O título “Bao” é uma referência ao pão chinês produzido no vapor o que combina perfeitamente com o curta de 8 minutos de duração, que conta a vida monótona de uma dona de casa e o seu sofrimento. A animação apresenta uma senhora de feições gentis e doces cozinhando tradicionais bolinhos de massa fresca entretanto um deles ganha vida e adquire uma forma semelhantes de um bebê que a doce senhora passa a cuidar dele como um filho.

O curta sofreu inúmeras críticas visto que no decorrer da animação a senhora que passou a agir como mãe para o pequeno bolinho em um ato de desespero engole o pequeno, cena que causar certo desconforto ao telespectador.

Todavia a animação é claramente uma metáfora bem estruturada e bonita. O curta dirigido por Domee Shi, uma diretora de cinema chinesa, traduz o sentimento complexo de uma mãe de uma forma suave, e tem como único objetivo proteger o filho ao qual dedicou a sua vida. Ao vê-lo partir para seguir o seu caminho no mundo, ela se vê desesperada, prestes a ser abandonada e, sem poder suportar novamente a solidão, age impulsivamente..

O final do curta explica de forma sutil que toda ação anterior não passou de uma ilusão criada pelo sofrimento da mãe por se sentir abandonada. Compreendemos  portanto que o bolinho representa o filho que se afastou da mãe ao sair de casa e nos damos conta de que o ato de desespero da mãe teria sido uma forma de evitar novamente passar por um momento de solidão e o sentimento de abandono.


Animal Behaviour

O curta “Animal Behaviour” (Comportamento Animal), dirigido por Alison Snowden e David Fine (Canadá). foi apresentado na 26º edição do Anima Mundi no Rio de Janeiro e foi  vencedor do Grande Prêmio Anima Mundi. Como de costume desde 2012, o curta vencedor do Anima Mundi recebeu a sua indicação pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood para concorrer ao Oscar de Melhor Curta-Metragem de Animação no ano seguinte. O que é compreensível sendo que o Festival Anima Mundi é reconhecido pela exposição das artes e técnicas de animação de longa e curta metragem sendo o maior festival de animação da América latina

A animação retrata uma sessão de terapia em grupo com um gato, um louva-a-deus, um passarinho, um porco, uma lesma e um gorila, orientada por Dr. Clemente, um psicoterapeuta canino. O curta-metragem mostra, de maneira bem humorada, que lidar com os sentimentos não é nada fácil. Se observa a necessidade da auto reflexão e o reconhecimento de seus limites e de como o apoio em certos momentos da vida é essencial para a saúde é um benefício para as pessoas ao redor.

A abordagem na animação apresenta comportamentos que  tornamos como naturais e provocam auto sabotagem. Isso é demonstrado pelo comportamento agressivo do Gorila ao afirmar que a sua atitude agressiva não seria um problema seu e sim das pessoas que o provocam.

A animação provoca uma reflexão comportamental de maneira cômica e direta.

Late Afternoon

Outra animação apresentada durante a 26º edição do Anima Mundi No Rio de Janeiro de 2018 foi o curta “Late Afternoon” (De tardinha), de Louise Bagnall, da Irlanda que foi indicado ao Oscar de 2019.

A animação apresenta uma paleta de cores e traços artísticos suaves, tornando o curta um deleite visual, além de apresentar de forma singela uma história bonita e poética.

A animação conta os momentos de uma senhora idosa que viaja entre o passado e presente constantemente por se lembrar de fragmentos ao analisar objetos aleatórios de seu quarto, Esses fragmentos de memória decorrem visualmente de uma perda da memória causada talvez pela idade avançada. No curta as memórias são representadas por cores suaves que mergulhadas em um tipo de maré de lembranças, enquanto uma moça mais nova lhe faz companhia. Em um dos momentos mais emocionantes e bonitos a senhora se  lembra do nome de sua filha, Katie, que esteve todo esse tempo presente na animação. Tornando o curta uma obra sensível e bela.

One Small Step

“One Small Step” é um curta de animação de 2018 produzido pelo TAIKO Studios, e com base no depoimento de seus diretores Andrew e Bobby, o curta representa “uma carta de amor para todos que correram atrás de um sonho impossível”. A animação descreve a importância do apoio de amigos e  familiares na busca da realização de um sonho.

A animação conta a história de uma garotinha sino-americana que tem como objetivo e sonho ser uma astronauta e pousar na lua. Desde o dia que ela assistiu o lançamento de um foguete na TV, ela sonha em viajar pelo espaço.

Conforme o crescimento da pequena Luna ela encontra muitos tipos de desafios enquanto está em busca de seus sonhos. Ela aprende que os sonhos só se alcançam com muito esforço e dedicação, assim como é preciso aprender a lidar com as dificuldades da vida para não desistir de seus sonhos.

A animação além de ser linda tem uma mensagem muito forte e importante  “ nunca desista de seus sonhos e não se esqueça que você não chegou no objetivo sozinho”. No decorrer do curta a Protagonista precisa lidar com a perda de seu pai, e não percebe a oportunidades perdidas ao seu redor, pois está imerso e focado no seus objetivo, entretanto o cenário apresentado após a pequena e triste cena e um exemplo de superação que ensina que é muito importante seguir o seu sonho, mas nunca se esqueça de viver o presente pois o arrependimento não lhe dar asas.

One Small Step e uma animação em curta-metragem com um visual espectacular e uma trilha sonora linda, que não tem diálogos, mas que ensina tanta coisa.

Weekends

Weekends é um filme de animação americano de 2018 criado e dirigido por Trevor Jimenez, animador da Pixar.

A animação retrata de forma criativa e abstrata as próprias experiências da infância de Jimenez e o doloroso processo de separação dos seus pais.

Na animação acompanhamos o protagonista em uma constante mudança de ambiente onde ele  passava a semana com sua mãe em Hamilton, em Ontário, e nos fins de semana com o pai, em Toronto.  As cores fortes e as vezes sombrias da animação entram em constante contraste com as linhas delicadas de algumas cenas que remetem a momentos felizes mas complexos de sua infância. Se compreende o embate psicológico que uma criança sofre por se ver presente em dois lares diferente, mas ao mesmo tempo se sentido em conflito por não conseguir lidar com o cotidiano da separação.

Ane Araujo Escrito por:

24 aninhos de puro azar e sorrisos doces. Amor incondicional por Musicais, livros de ficção fantásticas. Uma existência baseado em Direito e Arte.